Mônica Monteiro/Ângela e Celso/Hevaldo conquistam última etapa Challenger do Circuito Banco do Brasil Vôlei de Praia em 2005

14 Ago 2005
Mônica Monteiro/Ângela e Celso/Hevaldo conquistam última etapa Challenger do Circuito Banco do Brasil Vôlei de Praia em 2005

Rio das Ostras, 14/08/2005 – As duplas Mônica Monteiro/Ângela (RS/DF) e Celso/Hevaldo (RO/CE) ficaram com o título da quarta e última etapa Challenger do Circuito Banco do Brasil Vôlei de Praia, em Rio das Ostras, no Rio de Janeiro. Na final masculina, Celso e Hevaldo derrotaram Lula e Adriano (PE) por 2 a 0, parciais de 20/18 e 18/14. Na decisão feminina, Mônica e Ângela bateram Alexandra/Val (RJ) também por 2 a 0, parciais de 23/21 e 18/15. Andréia Teixeira/Taiana (SP/CE) e Fabinho/Murilo (CE/PE) ficaram com a medalha de bronze.

O título foi o primeiro da parceria Celso/Hevaldo. A vontade de vencer era tão grande que Hevaldo não conseguiu extravasar depois do ponto final. O jogador nem pulou ou saiu correndo, como de praxe entre os campeões. Ele apenas respirou profundamente.

“A expectativa era grande há bastante tempo. Fomos bem no Challenger de São Luís, quando não esperávamos chegar à final. Por isso, achamos que as outras etapas seriam melhores ainda e não foram. Cheguei aqui sem acreditar tanto, mas conseguimos”, desabafou Hevaldo, admitindo também que a responsabilidade de sua equipe era maior pelo fato de ter perdido a última decisão: “Isso conta sim, ainda mais porque estávamos enfrentando os vencedores da última etapa, mas deu tudo certo”.

O jogo começou equilibrado, mas Lula e Adriano abriram vantagem no meio do set. Celso e Hevaldo conseguiram se recuperar e o placar ficou igual. No 19 a 18, Celso forçou o saque e Hevaldo fechou com uma cortada sem bloqueio. Na segunda parcial, os campeões abriram vantagem logo no começo e souberam administrar a vantagem.

“Nossa dupla está crescendo. Estamos saindo daqui com o sentimento de trabalho bem feito”, finalizou Hevaldo, ainda mais animado porque a próxima etapa, em setembro, será em Fortaleza, sua cidade.

Ângela comanda o público após o título

Ângela vibrou bastante com a conquista. A jogadora lembrou que recuperou nos últimos tempos sua alegria no esporte e comandou a torcida após a vitória. Ela explicou uma das razões do sucesso da sua dupla com Mônica Monteiro, que subiu ao pódio em todas as etapas Challenger do Circuito Banco do Brasil Vôlei de Praia e conquistou dois títulos.

“Jogamos de maneira diferente em cada partida e isso complica bastante para as adversárias. Não temos bola certa, cada hora uma ataca em uma posição e isso nos dá vantagem”, destacou Ângela, lembrando das dificuldades enfrentadas na partida: “O vento atrapalhou bastante, mas conseguimos ir bem. No primeiro set, perdíamos por 14 a 10 e viramos para 15 a 14”.

O bom rendimento da parceria nos quatro torneios do Challenger não tirou os pés do chão das atletas. Ângela disse que a dupla não quer fazer planos para o futuro.

“Temos que agradecer a Deus e aproveitar o dia de hoje. Não ficamos pensando no que virá amanhã”, comentou Ângela, agradecendo também o apoio da torcida: “Em todo lugar que vamos, tem pelo menos uma parte do público do nosso lado”.

Primeiro pódio da dupla Andréia Teixeira/Taiana

O terceiro lugar de Andréia Teixeira/Taiana foi o primeiro pódio da dupla no Circuito Banco do Brasil Vôlei de Praia. O resultado tirou um peso das costas das jogadoras e deu ainda mais motivação para as próximas etapas.

“Fomos bem na primeira etapa do Challenger, em São Luís, onde ficamos na quinta posição. Depois, eu e a Taiana adoecemos e ficamos em colocações ruins nas duas etapas seguintes. Estávamos precisando disso para aumentar nossa confiança”, vibrou Andréia Teixeira, lembrando que a dupla estava apostando bastante nos torneios do Challenger: “Ficamos em quinto na última etapa antes do Challenger, em Sinop, e criamos muitas expectativas. Estava um pouco frustrada, mas agora estou muito feliz”.

Na partida que valia o bronze, Andréia Teixeira e Taiana derrotaram Izabel/Érika (PA/RN) por 2 a 1, parciais de 18/16, 14/18 e 21/19. Andréia disse que não deixou de acreditar na vitória nem nos momentos mais difíceis, como nos match-points que sua equipe precisou salvar.

“Eu estava com alguma coisa dentro de mim dizendo que iríamos vencer. Fiquei bem tranqüila. Fiquei nervosa mesmo na partida que vencemos Sandra Mathias/Elaine (RJ/PE) e garantimos vaga na semifinal”, revelou a atleta, elogiando o nível da partida de hoje: “Foi um grande jogo. A Izabel e a Érika estão vivendo um bom momento e foi bem difícil”.

Andréia Teixeira/Taiana espera agora manter o ritmo nas próximas competições, quando as duplas que disputam o Circuito Mundial estarão de volta. Andréia acredita que sua parceria está evoluindo:

“Temos que trabalhar bastante ainda, mas estamos alcançando o nível de jogo que desejamos. E agora vamos voltar ainda mais confiantes”, avisou.

Fabinho e Murilo conquistam outro pódio

O terceiro lugar conquistado neste domingo na etapa de Rio das Ostras do Circuito Banco do Brasil Vôlei de Praia encerrou com o brilho merecido a excelente campanha de Fabinho/Murilo no Challenger de 2005. A dupla alcançou a semifinal dos quatro torneios e, curiosamente, ocupou todas as quatro primeiras posições. Em São Luís, Fabinho e Murilo ficaram com o título, em Palmas, com o vice, em Manaus, em quarto, e agora na terceira posição.

“Mantivemos uma regularidade muito boa no Challenger. Aliás, fizemos seis semifinais seguidas, já que conquistamos as duas primeiras etapas do Circuito Sul-Americano. Nossa confiança está lá em cima”, comemorou Murilo.

A dupla venceu hoje Pedro Grael/Juca (RJ/BA), de virada, por 2 a 1, parciais de 11/18, 18/13 e 15/7. Desconcentrados e atrapalhados pelo vento, Fabinho e Murilo deixaram os adversários abrirem vantagem e perderam o primeiro set facilmente. Apesar disso, não se entregaram e ainda buscaram a vitória.

“Conversamos ontem à noite e combinamos de esquecer a derrota na semifinal. Se a vida fosse feita somente de primeiros lugares não teria graça. Queríamos o título, mas não podemos desprezar os adversários. Conseguimos nos superar, depois de um início ruim, e conquistamos mais esse pódio”, disse Fabinho.

A dupla mais uma vez mostrou todo seu carisma e conquistou o público. Murilo, um dos jogadores mais brincalhões do Circuito, explicou essa relação de sua equipe com os torcedores:

“Jogamos com alegria e, assim, alegramos a torcida. Somos privilegiados por trabalharmos no que gostamos e o público absorve isso”, disse Murilo, que sempre levanta a torcida quando tira o boné e reverencia o parceiro Fabinho na conquista de um ponto mais bonito: “Foi engraçado no Sul-Americano. Jogamos no Equador e na Colômbia e o público ficou do nosso lado mesmo contra equipes da casa”.

Parceiros Oficiais