Centrais Juciely e Bia são armas de Rexona-Sesc e Vôlei Nestlé para final

19 Abr 2017
Bia e Juciely em ação durante a Superliga 16/17 Bia e Juciely em ação durante a Superliga 16/17 Créditos: Divulgação/CBV

As centrais Juciely, do Rexona-Sesc (RJ), e Ana Beatriz, do Vôlei Nestlé (SP), são, em muitos momentos, as bolas de segurança das suas equipes na Superliga feminina de vôlei 16/17. Nas estatísticas oficiais da competição, elas aparecem com destaque. Bia tem o segundo bloqueio mais eficiente e é a 10ª maior pontuadora, com 309 pontos. Juciely é a sexta melhor bloqueadora e a sétima maior pontuadora, com 339 pontos. As duas são armas das equipes para a decisão que será disputada às 10h do próximo domingo (23.04) na Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro. A TV Globo e o SporTV transmitirão ao vivo.

A central Juciely, que tem seis títulos da Superliga, fez uma análise da participação do Rexona-Sesc na edição 16/17.

"Fizemos uma boa Superliga, mas sabíamos que os playoffs seriam os momentos decisivos. Os jogos contra o Pinheiros pelas quartas de final foram disputados e a semifinal contra o Camponesa/Minas muito difícil. Foi uma semifinal decidida em cinco jogos e o fato de fecharmos a série dentro de casa foi muito importante para sairmos de uma situação difícil. Com isso, chegamos motivadas para essa final", disse Juciely, que espera muito equilíbrio na decisão contra o Vôlei Nestlé.

"A final é um clássico do voleibol brasileiro. Elas têm uma equipe muito experiente com jogadoras como a Dani Lins e a Tandara. É um time que joga com velocidade e tem a Tandara como uma bola de segurança. Acredito que será uma partida equilibrada pelos dois elencos envolvidos nessa final", apostou Juciely.

Pelo lado do Vôlei Nestlé, a central Bia falou sobre sua evolução na temporada pelo time de Osasco.

"Sabia que a responsabilidade seria grande no Vôlei Nestlé. A cada treino eu buscava evoluir e melhorar na parte física. Isso ajudou bastante. O meu foco foi em ser melhor a cada dia e fico feliz de ter feito uma boa Superliga. Essa evolução aconteceu pela ajuda de toda a comissão técnica e em especial do Luizomar de Moura que sabia o quanto eu podia melhorar", explicou Bia, que também falou da sua expectativa para a final da edição 16/17.

"Tivemos duas semanas sem jogos para nos preparar e treinamos muito focadas na nossa equipe. Quando definiu o adversário passamos a focar no Rexona-Sesc. A ansiedade para chegar logo o dia existe, mas sabemos que cada dia é um dia a mais para evoluirmos. O Rexona-Sesc tem uma grande equipe, mas estamos prontas para fazer o nosso melhor e conquistar esse título", afirmou Bia.

Treinos abertos à imprensa:

Sexta-feira (21.04) e sábado (22.04)

9h às 11h - Rexona-Sesc (RJ)
11h às 13h - Vôlei Nestlé (SP)

Craque da galera

As jogadoras brilharam pelas quadras do Brasil em toda a temporada 16/17 da Superliga feminina de vôlei. Chegou a hora dos torcedores reconhecerem a dedicação das atletas na votação da "Craque da Galera" A eleição acontecerá até o dia 21 de abril, às 16h, no site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) pelo link: http://superliga.cbv.com.br/craque-da-galera.

A vencedora receberá a premiação durante a grande final, no dia 23 de abril, no Rio de Janeiro. Os torcedores poderão votar entre 16 nomes, dois de cada semifinalista e um dos demais times.
Ingressos à venda

Os ingressos para a decisão da Superliga feminina de vôlei 16/17 entre o Rexona-Sesc e o Vôlei Nestlé estão à venda no link: http://www.tudus.com.br/evento/jeunesse-arena-superliga-feminina-de-volei. Dos ingressos à venda restam apenas dois mil.

Final

23.04 (DOMINGO) - Rexona-Sesc (RJ) x Vôlei Nestlé (SP), às 10h, Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro (RJ) - TV Globo e SporTV

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro

Parceiros Oficiais